terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Incompetência Istmo Cervical (IIC)

Incompetência Istmo Cervical, insuficiência do colo uterino e colo do útero curto

Incompetência Istmo Cervical, insuficiência do colo uterino e colo do útero curto são denominações para o mesmo problema: o colo do útero não tem capacidade suficiente para "segurar" o feto depois que ele adquire determinado peso (normalmente acima de 500g).

Incompetência Istmo Cervical, insuficiência do colo uterino e colo do útero curto

O colo do útero é a parte de baixo do útero, onde se encontra a abertura do mesmo e a ligação com a vagina. É por ele que passam os espermatozóides e a menstruação. Durante a gravidez, forma-se no local um tampão composto por muco, a fim de fechar esta abertura. Em uma gravidez normal, o colo permanece grosso, fechado e com comprimento superior a 2,5 cm até as últimas semanas. 

No entanto, numa gravidez com IIC, o colo começa a ficar mole, apagado, fino ou com tamanho inferior a 2,5 cm antes do tempo (normalmente isso ocorre no segundo trimestre de gravidez), não suportando o peso do bebê e na maioria das vezes ocasionando um parto prematuro.

As causas de IIC podem ser congênitas ou adquiridas. Nas congênitas, a mulher nasceu com uma má formação do canal, como por exemplo, em decorrência de maior concentração de fibras elásticas do que fibras musculares. As causas adquiridas são aquelas que a deformidade se deu após o nascimento, como no caso de partos com utilização de fórceps, partos traumáticos, conização, etc (fonte wikipedia).

Infelizmente os obstetras não têm como praxe a medição do tamanho do colo do útero durante a gravidez e o problema acaba somente sendo diagnosticado após a gestante sofrer um ou mais abortos. O tamanho do colo do útero pode ser facilmente acompanhado através de ultrassonografia e quando diagnosticado o IIC até a 13ª semana de gestação, pode-se fazer a cerclagem, que é a costura em volta do colo uterino. Existem casos de cerclagens de emergência, realizadas após a 13ª semana, mas os riscos de a bolsa estourar com o procedimento são maiores.

Colo do útero curto - Minha experiencia

Sintomas e Diagnóstico 

Tive diagnóstico de colo do útero curto com 18 semanas de gestação. Sentia uma pressão muito forte "lá embaixo" e comentei com a minha GO. Após uma certa insistência minha, ela fez exame de toque e verificou que meu colo estava apagado e com dilatação de 1 cm. Me mandou fazer repouso absoluto e tomar antibiótico, pois poderia estar com infecção urinária (que ocasiona partos prematuros!). 

Tamanho do colo do útero

Com um certo desespero e ainda sentindo aquela pressão, fui alguns dias depois na emergência obstétrica. Lá mediram pela primeira vez meu colo e ele tinha exatamente 2,5 cm. Esse é considerado um tamanho limite, mas que era um pouco curto para meu tempo gestacional. Como já estava com a gravidez muito avançada, minha GO e uma outra obstetra que consultei para uma segunda opinião, foram categóricas em dizer que não era aconselhável a cerclagem. E lá vai mais repouso e uso de utrogestan todas as noites. 

Lá pela 28ª semana de gestação, depois de um final de semana de muitas contrações e poucos movimentos do bebê, fui na emergência novamente e mediram meu colo pela segunda vez (nesses períodos minha GO apenas fazia exame de toque e a dilatação continuava a mesma). O comprimento tinha aumentado para 3 cm, mas sob pressão afunilava para 1,5 cm. E lá vai mais repouso e retomada de utrogestan que eu tinha parado de tomar há uma semana. 

Minha GO nunca foi muito rigorosa com as orientações de repouso, mas eu seguia a risca, levantava só para tomar banho e ir ao banheiro. Se ia em consultas ou exames, só saia de carro e subia escadas carregada no colo. Quando fechei 29 semanas, o repouso foi liberado e eu resolvi sair um pouco, pois era época de final de ano. Saí todos os dias, mas só de carro. Resultado: aumento de contrações, dilatação de 2 cm e início de perda do tampão (que é tipo um catarro amarelado). Voltei para a clausura novamente e saía só nos finais de semana para dar uma voltinha de carro. 

Com 34 semanas e 3 dias entrei em trabalho de parto. Minha GO tinha posto como meta as 34 semanas, pois é quando o bebê já está praticamente todo formado e tem menos chances de ir para a UTI. Acho que quando fechei as 34 semanas fiquei tão aliviada, que o Davi resolveu que já era essa história de repouso pra mim!

Pretendo ter um segundo filho, sei que vai ser bem difícil e o planejo para quando o Davi já for mais crescidinho e não depender tanto de mim...Foi muito difícil a angústia de poder perder um filho tão desejado, ficar 4 meses de repouso, ler tanta tragédia na internet, mas no fim tudo passa e a gente até esquece que um dia passou por tanto sofrimento!

Existem casos mais graves de IIC, em que a mulher perde logo no comecinho da gravidez, mas acho que se fosse de costume a medição do colo durante a gestação, tudo poderia ser evitado! Quem sabe um dia as coisas mudem e agradeço todos os dias por ter conseguido diagnosticar o meu problema a tempo!
Beijocas,
Elis


Nenhum comentário:

Postar um comentário